Nutrólogo Abib Maldaun Neto é acusado de abuso sexual por 21 mulheres

Por Metro Jornal com Agência Brasil

O Ministério Público de São Paulo (MPSP) abriu investigação para apurar denúncias de abuso sexual por pacientes do nutrólogo Abib Maldaun Neto.

A promotoria informou que foi procurada por 21 mulheres que relataram condutas indevidas do médico; as denúncias correm em sigilo.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

LEIA MAIS:
Previsão do tempo: terça será dia mais frio da semana em São Paulo
Bolsonaro troca ‘Renda Brasil’ por ‘Renda Cidadã’ e pretende usar dinheiro do Fundeb

Maldaun Neto responde ainda a processos ético-profissionais e a sindicâncias, além de responder na Justiça a um processo sigiloso devido a acusações de abuso de pacientes durante as consultas.

O registro do médico foi suspenso temporariamente pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) após as denúncias. Pelos próximos seis meses, Maldaun Neto não poderá exercer a profissão em lugar algum do Brasil. A suspensão poderá ser prorrogada por mais seis meses após término do prazo inicial.

De acordo com a defesa de Maldaun Neto, o médico está recorrendo da condenação em primeira instância.

“Mantenho a consciência tranquila, pois em décadas arduamente dedicadas à medicina jamais pratiquei qualquer ato imoral ou ilegal contra qualquer paciente ou cidadão. Sempre atuei de forma ética, integra e profissional zelando pela dignidade da honrosa profissão a qual dedico a minha vida, por esta razão sempre colaborei com o processo, comparecendo em todos os atos e me colocando à disposição da justiça a fim de que a verdade real dos fatos seja devidamente comprovada”, diz a nota no médico divulgada na página de seu consultório.

Loading...
Revisa el siguiente artículo