Gasolina pode ficar mais cara ao motorista com novo reajuste nas refinarias

Por Maju Arruda Leite - Rádio Bandeirantes

A expectativa é que a gasolina fique ainda mais cara nos próximos dias. Na última semana, a Petrobras anunciou um reajuste de 4% nas refinarias.

O valor médio do litro para as distribuidoras teve um aumento de seis centavos e passou a ser vendido por um R$ 1,66. A elevação do preço nas bombas de combustível assusta depois de uma queda causada pela restrição de circulação de pessoas por causa da pandemia.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Veja também:
Projeto visa informar na internet sobre radares em rodovias estaduais de São Paulo
São Paulo pode ter ventos de até 50 km/h nesta segunda

De acordo com os dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), em março, período anterior à pandemia, o valor médio da gasolina nas bombas era de R$ 4,28. Em maio, no auge da doença, o combustível caiu para R$ 3,68. No mês de agosto, o preço médio voltou ao patamar de quatro reais.

Para o presidente do sindicato que representa os postos de São Paulo, José Alberto Paiva, a tendência é de mais aumento pela frente.Em 2020, foram trinta mudanças no preço da gasolina até agora, sendo 14 aumentos e 16 reduções, segundo a Petrobras. No acumulado do ano, o combustível teve redução de 13%.

Loading...
Revisa el siguiente artículo