Incêndio no Pantanal tomou 'proporção gigantesca', admite Salles

Por Rádio Bandeirantes

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, admite que o incêndio no Pantanal tomou uma “proporção gigantesca”. Em entrevista exclusiva à Rádio Bandeirantes, na manhã desta terça-feira, 15, no Jornal Gente, ele afirmou que “o prejuízo é grande”.

O maior impacto atinge todo o conjunto das espécies de seres vivos na região, a biodiversidade. “De fato o prejuízo a nossa fauna ele é grande, a flora e a parte de vegetação ela se recompõe, agora não pode ser um fogo da proporção gigantesca que está sendo então por isso que estamos combatendo fortemente”, disse.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Veja também:
PSL rejeita coligação com Russomanno e registra candidatura de Joice em SP
Bolsonaro dá ‘ponto final’ em Renda Brasil e diz que vai manter Bolsa Família

Além do clima, outra causa do incêndio no Pantanal são as restrições à utilização do fogo controlado, segundo Salles. “Nós precisamos ter essa visão que certas técnicas conhecidas de maneiras centenárias, que é o uso de fogo controlado, a queima controlada, serve para limpar o pasto e quando não faz isso quando vem um incêndio com todo o material depositado em solo o incêndio se torna de muito maior proporção para além da questão climática”, afirmou.

O ministro do Meio Ambiente ressalta ainda que a resistência ao bloqueador químico de fogo dificulta o combate às chamas. “No Brasil há uma resistência enorme dos órgãos ambientais em autorizar o que acaba tornando o combate ao incêndio menos eficaz”, disse. Estima-se que entre 10 e 15% da área do Pantanal já tenha sido devastada pelo incêndio.

Assista à entrevista na íntegra:

Loading...
Revisa el siguiente artículo