Incêndios no Pantanal cresceram 210% desde 2019

Por Metro Jornal com Ansa

Entre 1º de janeiro e 12 de setembro deste ano, o número de focos de incêndio na área do Pantanal chegou a 14.489 — número 210% maior que no mesmo período de 2019, quando foram registrados 4.660 pontos de calor.

Além disso, esse é o segundo ano consecutivo de alta no número de queimadas na região: em 2019, o aumento foi de 493% na comparação com 2018.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

LEIA MAIS:
Caixa credita saque emergencial do FGTS para nascidos em novembro
Busca por testamentos aumenta 134% na pandemia, diz levantamento de cartórios

Os dados foram divulgados em relatório do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) nesta segunda-feira (14). O texto ainda afirma que, três meses antes do fim de 2020, este já é o ano com maior número de queimadas que o Pantanal já enfrentou. O recorde anterior pertence a 2005, ano em que 12.536 incêndios atingiram o bioma. A série histórica foi iniciada em 1998.

Ainda, o número de focos de calor ante 2016 cresceu por todo o Brasil; considerando todos os biomas e florestas do país, o aumento foi de 10%.

A origem dos incêndios no Pantanal está sendo apurada pela Polícia Federal, que deflagrou operação nesta segunda-feira. A ação envolve mandados de busca e apreensão nas cidades de Corumbá e Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, e visa identificar crimes ambientais no território.

A operação ainda contou com aeronaves e embarcações no interior do Pantanal para chegar em alguns focos das queimadas. Caso haja condenação, os crimes preveem penas de, no máximo, 15 anos de detenção.

Loading...
Revisa el siguiente artículo