ONU terá Assembleia Geral em versão online desafiadora com pandemia

Por Miguel Velázquez - Metro Internacional

Em sua 75ª edição, a maior conferência internacional da ONU (Organização das Nações Unidas), que tem seu início marcado para esta terça-feira (15), fará história ao inaugurar sua primeira versão completamente remota em virtude do novo coronavírus. A Assembleia Geral das Nações Unidas, evento chave da entidade, ocorre anualmente desde 1946, logo após o fim da Segunda Guerra Mundial.

Estabelecida em 1945, a ONU é considerada a principal entidade deliberativa, política e representativa das nações. O órgão também desempenha papel importante no processo de definição de normas e codificação do direito internacional. A Assembleia Geral, do qual participará o presidente russo Vladimir Putin pela primeira vez desde 2015, será realizada entre os dias 15 e 30 de setembro, conforme o calendário provisório.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Segundo a diretora do Centro de Inovação Política da Griffith University, na Austrália, Susan Harris Rimmer, este ano o evento deve girar em torno de como a pandemia de coronavírus revelou a realidade desigual das sociedades. “Enquanto estamos todos flutuando no mesmo mar, é claro que alguns estão em super iates e outros se agarram aos escombros à deriva”, afirmou Susan.

Ainda durante o evento, haverá uma reunião do alto comissariado para marcar o 75º aniversário da ONU. Para isso, foi organizada uma cúpula sobre biodiversidade e uma reunião de 25 anos da Quarta Conferência Mundial sobre a Mulher, entre outros eventos, incluindo um para comemorar e promover o Dia Internacional do Desarmamento Nuclear Mundial.

Ao todo, 193 países participarão da conferência em 2020. No ano de inauguração, em 1946, no entanto, foram apenas 51 nações – incluindo o Brasil – que estiveram no evento em São Francisco, no estado norte-americano da Califórnia.

Os compromissos da ONU

A Assembleia faz recomendação aos estados sobre assuntos internacionais da sua competência. A declaração do Milênio, aprovada em 2000, e o Documento Final da Cúpula Mundial, em 2005, refletem os compromissos dos estados-membros da entidade:

• Alcançar objetivos.
Entre eles estão a busca de paz, segurança, desarmamento, desenvolvimento e erradicação da pobreza.

• Proteger a sociedade.
Incentivo aos direitos humanos e ao estado de direito.

• Meio ambiente.
Objetivo de proteger o “ambiente em comum”.

• África.
“Atender às necessidades especiais do continente africano”.

Loading...
Revisa el siguiente artículo