Ministra da Agricultura não vai intervir no preço do arroz; veja entrevista

Por Metro Jornal com Rádio Bandeirantes

Nesta quarta-feira (9), a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, voltou a falar sobre a alta no arroz. A chefe da pasta foi entrevistada pela Rádio Bandeirantes, onde admitiu que o produto encareceu, mas descarta intervir no preço.

Tereza Cristina atribuiu o aumento sentido no bolso do consumidor à queda na produção nacional do insumo, além da redução na importação neste ano. Ela também mencionou uma alta no consumo como reflexo dos efeitos da pandemia.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

“A área plantada vem sendo diminuída ano a ano. Sem a entrada das importações do Uruguai e do Paraguai, que acontecem sempre, nós ficamos com um estoque muito justo porque nosso consumo também aumentou durante a pandemia. Essa série de fatores fez com que o [preço do] arroz estivesse alto”, afirmou.

A exportação do produto também é fator importante para a disparada no preço. A ministra admite que não é possível prever quando os valores devem recuar, porém garantiu que não há risco de desabastecimento.

LEIA MAIS:
Trecho norte do Rodoanel terá obras retomadas em fevereiro de 2021
Cerca de 10% do Pantanal foi destruído em incêndios de 2020

“O ministério da Agricultura monitora o estoque e se temos produto para não haver o desabastecimento", conta. No entanto, reitera que "o preço é o mercado que controla.".

Tereza Cristina ainda falou sobre a proposta do governo de liberar importação do arroz com tarifa zero, para equilibrar a relação entre a oferta e a demanda do produto. "Estamos abrindo a importação de arroz, que não é [de um país] do Mercosul, que deve vir dos EUA e da Tailândia, mas só por um período e uma cota. A gente quer que os produtores produzam para o próximo ano uma quantidade maior”.

Confira vídeos da entrevista a seguir:

Loading...
Revisa el siguiente artículo