Entenda como serão os testes para entrega de comidas com drone no Brasil

iFood recebe autorização da Anac para implementar o drone no processo de entregas, inédito no país

Por Vanessa Selicani e Wilson Dell’Isola - Metro Jornal

As empresas que trabalham com delivery de alimentos já fazem entregas com motos, bicicletas, patinetes e até a pé. O iFood, um dos maiores que atuam no Brasil, porém, já trabalha para fazer o serviço também pelo ar. Algo que não deve demorar a acontecer, já que a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) autorizou testes para entrega de produtos com drones à SpeedBird, parceira da plataforma – foi, inclusive, a primeira empresa com esta finalidade a conseguir o certificado.

Campinas (SP) será a primeira cidade a receber os testes, em um shopping. A expectativa é que o trabalho, em caráter experimental, comece em outubro, ainda que não haja uma data definida.

“Fizemos um estudo de qual seria a melhor cidade para iniciar os voos devido à geografia local e seguindo orientações da própria Anac. Além disso, temos escritório na cidade, o que facilita o acompanhamento”, disse ao Metro Jornal o gerente de inovações em logística do iFood, Fernando Martins.

Mas calma. Ainda não espere ver cenas como a de filmes com cenários futuristas em que aeronaves não tripuladas praticamente batem à porta das pessoas com a comida. No projeto, a ideia é que os drones sejam usados no transporte “interno”, antes de chegar às mochilas dos entregadores, para que o processo seja mais ágil para o cliente e para que o custo dos restaurantes seja menor.

No caso de Campinas, serão duas área de pouso e decolagem: uma próxima à praça de alimentação e outra no térreo, perto dos entregadores, evitando o deslocamento até o restaurante. A entrada do drone neste trajeto, de acordo com a empresa, vai gerar uma economia de 10 minutos (de 12 para 2).

Uma segunda rota de voo fará o trajeto de 2,5 quilômetros entre o centro do iFood no shopping e um condomínio residencial próximo. A previsão é de que o percurso seja feito em 4 minutos com o drone, em vez dos 10 minutos pelos modais atuais.

Entregadores

Em parceria com o Sesi-SP, o iFood vai oferecer um curso online e gratuito de capacitação para os entregadores, voltada tanto para o dia a dia do profissional quanto para o desenvolvimento de habilidades pessoais. O módulo estará disponível ao grupo a partir desta quarta-feira no app da plataforma e inclui conteúdos como finanças pessoais, direção defensiva e primeiros socorros.

Drones em Campinas - iFood Divulgação

Testes em Campinas

  • Uma rota de 400 metros ligará a praça de alimentação do Shopping Iguatemi Campinas com o iFood Hub, uma estrutura montada também no empreendimento que roteiriza os pedidos.
  • O percurso deve levar em média 2 minutos, sendo que o trecho, a pé, dura cerca de 12 minutos de acordo com a empresa.
  • A conexão será feita por um prestador de serviço do iFood chamado de “mensageiro”, que retira os pedidos da praça de alimentação e os leva até um andar mais alto do shopping, onde fica localizada a área de “decolagem” dos drones.
  • A partir daí, a rota até a porta do cliente será feira pelos entregadores.

Fala, iFood

Por que a escolha de Campinas e quando começam os testes?
Fizemos um estudo de qual seria a melhor cidade para iniciar os voos por conta do terreno e seguindo orientações da própria Anac. Além de termos um escritório na cidade, o que facilita o acompanhamento da operação, Campinas tem concentração significativa de pedidos e áreas mais esparsas, que permitem que os voos sejam feitos com segurança. Devido ao avanço da pandemia, a empresa está avaliando o momento mais adequado para dar início ao projeto. A previsão é para os próximos meses.

Quais serão os ganhos com a utilização do equipamento?
A ideia é que ele complemente a operação dos modais tradicionais, realizando a primeira parte da rota, que será finalizada por um entregador com moto, bike ou patinete. O drone traz uma certa previsibilidade para a operação, já que é possível acompanhar a rota por softwares, de forma automatizada, o que aumenta muito nosso potencial de eficiência de entrega.

As entregas com o uso do drone serão mais caras?
O processo de pedidos não irá mudar. Isso quer dizer que não acarretará custos adicionais para consumidores ou  restaurantes.

Fala, Anac

A autorização para o projeto em Campinas é a primeira para delivery concedida no país?
Na verdade a certificação emitida pela Anac foi para a Speedbird, que é uma startup na área de tecnologia de drones. Com a finalidade de transporte de carga em operação além da visual, ou seja, sem que o piloto tenha o contato direto com a aeronave. Essa, sim, foi a primeira emitida.

Quais as normas que deverão ser seguidas pela iFood? Por quanto tempo vale a autorização?
Como mencionado, a autorização foi concedida para a aeronave da Speedbird, o que não impede, porém, que eles façam uma parceria do uso experimental do equipamento. A autorização tem duração de um ano.

O que é preciso para ter a autorização? No que ela difere das outras finalidades para o uso do equipamento?
Para requerer um certificado de autorização de voo experimental para um drone, o interessado deve apresentar as informações requeridas na IS E94.503-001A. Uma avaliação de segurança é realizada pela Anac e de acordo com as características e particularidades técnicas e operacionais de cada caso específico.

Equipamento é preparado para mapear florestas

Uma outra funcionalidade para os drones foi desenvolvida por pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) e da University of Pennsylvania (EUA). Trata-se de um sistema computacional capaz de controlar um drone de forma autônoma no interior de florestas, permitindo, inclusive, que ele desvie de árvores e mapeie grandes territórios em poucos minutos.

Um dos autores do sistema, Guilherme Nardari explica que o drone será capaz de mapear uma floresta inteira de 400 mil metros quadrados em apenas 30 minutos. Se o mesmo trabalho fosse realizado por uma equipe de engenheiros florestais, por exemplo, o tempo gasto seria de 12 dias e meio.

Drone tem 3kg e autonomia de 20 minutos Drone tem 3kg e autonomia de 20 minutos / Divulgação/University of Pennsylvania
Loading...
Revisa el siguiente artículo