Polo Petroquímico do ABC registra 61 quedas de balões em apenas três meses

Por Metro Jornal

Risco externo para a região do Polo Petroquímico do Grande ABC, quedas de balões tiveram aumento de 6,85% entre janeiro e julho deste ano em relação a 2019, totalizando 79 ocorrências.

Apenas entre maio e julho. esse número foi de 61 balões, segundo levantamento do Comitê de Fomento Industrial do Polo do Grande ABC (COFIP ABC), por meio do Plano de Auxílio Mútuo Capuava (PAM Capuava)

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

“Os balões representam o principal risco externo para o Polo Petroquímico do Grande ABC”, afirma Valdemar Conti, coordenador do PAM Capuava.

“Os balões podem cair ainda em chamas sobre locais aleatórios, como o telhado de uma casa, e colocar em risco a segurança de uma família, ao provocar incêndio de grandes proporções”, explica.

No parque industrial, o céu é monitorado de maneira permanente. Quando um balão é identificado, rapidamente os brigadistas acionam um alerta. Os objetos são abatidos ainda no ar com canhões.

Denúncias anônimas podem ser feitas pelo Disque Denúncia (181) ou pelo 190, da Polícia Militar. Em tempo: é crime soltar, fabricar, vender e transportar balões. A pena prevista é detenção de um a três anos e/ou multa.

Loading...
Revisa el siguiente artículo