Três siglas confirmam candidatos à prefeitura de São Paulo

Por Estadão Conteúdo

No primeiro dia de convenções partidárias, três legendas confirmaram nesta segunda-feira (31), seus candidatos à eleição municipal de São Paulo.

Numa reunião que só foi anunciada no dia anterior, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL) criticou até o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), seu aliado político e amigo pessoal.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Veja também:
SP tem 39 Câmaras que custam mais do que cidades arrecadam, diz TCE
MPRJ conclui inquérito que investiga Flávio Bolsonaro por ‘rachadinha’

Embora o governador tucano não tenha sido citado diretamente, o evento de lançamento do ex-ministro Andrea Matarazzo (PSD) teve discursos que lembraram que, se eleito, o candidato não deve sair no meio do mandato para tentar outro cargo. Eleito em 2016, Doria deixou o posto há dois anos.

A terceira convenção de ontem foi do PRTB, que confirmou Levy Fidelix como candidato. Concorrendo pela quinta vez à capital paulista, Fidelix aposta na atuação do vice-presidente Hamilton Mourão, do seu partido, como cabo eleitoral. Mourão não compareceu à convenção do partido.

A candidata do PSL surpreendeu ao criticar publicamente o governador Doria. "João Doria não foi prefeito. Ele só deu uma passadinha. Foi mais marqueteiro do que prefeito e deixou uma nulidade que é o Bruno Covas", afirmou.

Doria não foi o único alvo de Joice na entrevista coletiva que deu após a convenção do seu partido, que aconteceu de forma virtual. Sobre o eventual retorno do presidente Jair Bolsonaro ao PSL, possibilidade discutida nos círculos bolsonaristas, a deputada condicionou a reaproximação a um pedido público de desculpas.

"Por que o presidente Bolsonaro quer voltar ao PSL? Qual a intenção? É para construir ou para destruir? É para fazer uma intervenção inquisidora? Se for para isso, que fique onde está. Se ele vier para construir, que peça desculpas públicas a quem ele tentou destruir. Não adianta pedir desculpa no privado"

Joice também mirou os filhos do presidente, o senador Flávio Bolsonaro e o deputado Eduardo Bolsonaro. "Não quero sentar ao lado de alguém que fez "rachadinha", que é eufemismo para corrupção", afirmou.

A convenção do PSL foi a primeira da capital paulista e aconteceu de forma virtual. O evento só foi divulgado no fim de semana e pegou de surpresa até aliados da parlamentar.

Loading...
Revisa el siguiente artículo