SP tem 39 Câmaras que custam mais do que cidades arrecadam, diz TCE

Por Maju Arruda Leite - Rádio Bandeirantes

Um estudo revela que 39 cidades do estado de São Paulo têm hoje Câmaras de Vereadores que custam mais aos cofres públicos do que os próprios municípios arrecadam. O levantamento do TCESP (Tribunal de Contas do Estado) se baseou nos gastos de custeio e pessoal das casas legislativas de 644 municípios – a capital não faz parte do mapeamento por ter o próprio órgão fiscalizador.

Os dados consolidados dizem respeito ao período de maio de 2019 a abril de 2020; anterior, portanto, a queda de arrecadação motivada pela pandemia. As Câmaras são mantidas com o dinheiro de impostos, como o IPTU. Municípios onde a população é inferior a 6 mil habitantes são as que mais excedem o valor arrecadado.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Veja também:
MPRJ conclui inquérito que investiga Flávio Bolsonaro por ‘rachadinha’
Bens que Maluf herdou da mãe serão usados para indenizar São Paulo

Segundo o diretor da Divisão de Auditoria Eletrônica do TCESP, Marcos Portella, sem os repasses estaduais e federais, essas cidades quebrariam. Com 1,8 mil habitantes, Aspásia, no noroeste paulista, é o município com maior déficit de arrecadação em relação às despesas da Câmara: os gastos da Casa com nove vereadores totalizam mais de R$ 720 mil reais – 202% maior do que o valor arrecadado com impostos.

Para o secretário-geral da ONG Contas Abertas, Gil Castelo Branco, os custos do legislativo nas cidades pequenas deveriam ser revistos. O custo do Poder Legislativo nos municípios do estado de São Paulo somou quase R$ 3 bilhões no período de 12 meses avaliado.

Loading...
Revisa el siguiente artículo