Famílias com crianças e adolescentes têm maior queda de renda na pandemia

Pesquisa Ibope foi encomendada pela Unicef, e realizada em julho deste ano

Por Metro Jornal com Agência Brasil

Uma pesquisa encomendada ao Ibope pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) indica que a crise do coronavírus impactou ainda mais famílias com crianças ou adolescentes.

Nomeado Impactos Primários e Secundários da Covid-19 em Crianças e Adolescentes, o levantamento entrevistou 1.516 pessoas maiores de 18 anos em todo o país entre 3 e 18 de julho. Destes, 40% moravam com alguém com menos de 17 anos.

Enquanto 55% do total de entrevistados afirmaram que o rendimento familiar tinha diminuído no mês anterior à entrevista, entre as famílias com crianças e adolescentes esse percentual foi de 63%. E, ao passo que 37% dessas famílias mais afetadas perderam até metade de seus rendimentos, 79% das que não residem com crianças ou adolescentes afirmaram ter perdido menos da metade de sua renda.

Além disso, enquanto do total de entrevistados 46% pediram o auxílio emergencial de R$ 600, entre os que têm crianças ou adolescentes em casa esse percentual chegou a 52%.

“Suas famílias [que residiam com crianças e adolescente] tiveram as maiores reduções de renda; a qualidade da alimentação que recebem piorou, e muitos de seus direitos estão em risco. É fundamental entender esses impactos e priorizar os direitos de crianças e adolescentes na resposta à pandemia”, disse a representante adjunta da organização no Brasil, Paola Babos, referindo-se a outros aspectos avaliados na pesquisa, como a segurança alimentar e nutricional.

Loading...
Revisa el siguiente artículo