Secretário de Saúde do DF é preso em operação que apura fraudes

PF e Ministério Público investigam possíveis irregularidades na compra de testes para covid-19

Por Angelo Nascimento - BandNews FM

A Polícia Federal e o MPDFT (Ministério Público do Distrito Federal) fazem, na manhã desta terça-feira (25), uma operação que investiga possíveis irregularidades na compra de testes para detecção da covid-19. Entre os presos preventivamente está o secretário de Saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo.

No total, foram expedidos 44 mandados de busca e apreensão e sete de prisão, entre temporárias e preventivas. As ordem judiciais estão sendo cumpridas na capital federal e em oito Estados: Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina, Mato Grosso, Espírito Santo e Rio Grande do Sul.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Veja também:
São Paulo já aplicou 202 multas por falta de máscara
Uso dos planos de saúde caiu na pandemia

Além de Araújo, foram presos na operação que investiga supostas irregularidades na compra de testes para detecção da covid-19:

• Ricardo Tavares Mendes – ex-secretário adjunto de Assistência à Saúde do DF;
• Eduardo Hage Carmo – subsecretário de Vigilância à Saúde do DF;
• Eduardo Seara Machado Pojo do Rego – secretário adjunto de Gestão em Saúde do DF;
• Jorge Antônio Chamon Júnior – diretor do Laboratório Central do DF;
• Ramon Santana Lopes Azevedo – assessor especial da Secretaria de Saúde do DF.

De acordo com o MPDFT, o objetivo da operação é desmantelar uma organização criminosa instalada dentro da Secretaria de Saúde do Distrito Federal para fraudar a escolha de fornecedores e superfaturar a compra dos testes. Os investigadores afirmam que o prejuízo aos cofres públicos chega a R$ 18 milhões.

A primeira fase da operação “Falso Negativo” foi deflagrada em 2 de julho. À época, foram cumpridos 74 mandados de busca e apreensão em mais de 20 cidades pelo país. A Secretaria de Saúde e o governo do Distrito Federal não se manifestaram até o momento.

Loading...
Revisa el siguiente artículo