Corrupção na compra de EPIs é 'assassinato', diz OMS

"Se os trabalhadores da saúde trabalharem sem equipamento de proteção individual, eles arriscam suas vidas"

Por Metro Jornal com Ansa

Durante a coletiva de imprensa diária da Organização Mundial da Saúde (OMS), o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, falou sobre casos de corrupção na compra de insumos e equipamentos de combate à pandemia.

Questionado por um jornalista sobre a situação da epidemia de covid-19 na África do Sul, Adhanom falou sobre escândalos de corrupção na compra de equipamentos de proteção individual (EPIs). Para o diretor, estes desvios são "um crime" e "assassinato" e, portanto, "têm que acabar".

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Fundação Renova - agosto 2020

"Se os trabalhadores da saúde trabalharem sem equipamento de proteção individual, eles arriscam suas vidas e também colocam em risco a vida das pessoas a quem cuidam", acrescentou.

O diretor da OMS ainda disse esperar que a crise sanitária mundial provocada pelo novo coronavírus possa ser resolvida em menos de dois anos – tempo que, estudos apontam, teria durado a pandemia de gripe espanhola de 1918.

Loading...
Revisa el siguiente artículo