SP demite professora que questionou estupro de menina de 10 anos

Por Metro Jornal

Uma professora da rede estadual de São Paulo foi demitida após comentar em rede social que não houve violência no caso da menina estuprada desde os seis anos no Espírito Santo. Os comentários foram apagados pela docente, mas expostos em publicações no Twitter.

A mulher afirma que a menina “já tinha vida sexual há quatro anos com esse homem. Deve ter sido bem paga”. Ainda questionou a vítima. “Crianças se defendem chorando pra mãe, esta menina nunca chorou por quê?”

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Veja também:
Prazo para inscrição na lista de espera do Prouni termina nesta quinta
Polícia apreende doses de maconha líquida no Sacomã; dois são presos

Fundação Renova - agosto 2020

O secretário da Educação, Rossieli Soares, disse que as denúncias vieram pelas redes sociais, o que levou ao afastamento imediato da professora. “É um absurdo, não dá nem para dizer que é uma professora, não existe justificativa”, afirmou, em entrevista ao canal “Globo News”.

A demissão foi efetivada na terça-feira (18). Não foi informado o local de trabalho da docente. “Isso não é uma professora, não representa a classe da educação. Repudiamos totalmente, não vamos aceitar”, completou Soares.

Loading...
Revisa el siguiente artículo