PF cumpre mais de 130 mandados em 12 estados em operação contra o tráfico

Por Metro Jornal

A Polícia Federal deflagrou, nesta terça-feira (18), uma operação contra o tráfico internacional de drogas e a lavagem de dinheiro em 12 estados e no Distrito Federal.

Na operação, batizada de "Além-Mar", estão sendo cumpridos 139 mandados de busca e apreensão e 50 mandados de prisão (20 preventivas e 30 temporárias). A ação envolve 630 policiais em Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo.

Veja também:
Correios dizem ser ‘impossível’ atender às reivindicações de funcionários em greve
Suspeito de estuprar menina de 10 anos é preso em Minas Gerais

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Fundação Renova - agosto 2020

Foi determinado ainda pela Justiça Federal o sequestro de sete aviões, cinco helicópteros, 42 caminhões e 35  imóveis urbanos e rurais ligados aos investigados e ao esquema criminoso, além do bloqueio judicial do valor de R$ 100 milhões.

De acordo com a PF, quatro organizações criminosas autônomas, atuando em conexão, viabilizavam o esquema de tráfico internacional de drogas, por meio do qual toneladas de cocaína foram exportadas para a Europa via portos brasileiros, especialmente no Porto de Natal.

A primeira organização criminosa, estabelecida em São Paulo, promove o transporte de cocaína pela fronteira com o Paraguai, via aérea até o estado de São Paulo e distribuindo-a no atacado para organizações criminosas estabelecidas no Brasil e na Europa.

A segunda, em Campinas, parceira da anterior, recebe a cocaína internalizada no território nacional para distribuição interna e exportação para Cabo Verde e Europa. A terceira, em Recife, é integrada por empresários do setor de transporte de cargas, funcionários e motoristas de caminhão cooptados e provê a logística de transporte rodoviário da droga e o armazenamento de carga até o momento de sua ocultação nos containers.

A quarta organização, na região do Brás, no centro da capital paulista, atua como banco paralelo, disponibilizando sua rede de contas bancárias (titularizadas por empresas fantasma, de fachada ou em nome de "laranjas")  para movimentação de recursos de terceiros, de origem ilícita.

Durante a fase sigilosa das investigações foram presas 12 pessoas e apreendidas mais de 11 toneladas de cocaína no Brasil e na Europa. As investigações tiveram início no ano de 2018, a partir de informações difundidas à Coordenação Geral de Prevenção e Repressão ao Tráfico de Drogas da Polícia Federal pela NCA (National Crime Agency).

Loading...
Revisa el siguiente artículo