Menina de 10 anos vítima de estupro só terá alta quando puder voltar para casa em segurança, diz médico

Por Portal da Band com Melhor da Tarde

Olímpio Barbosa de Moraes Filho, o médico responsável pelo procedimento de interrupção da gravidez de uma menina de 10 anos estuprada pelo tio, conversou nesta terça-feira, 18, com Catia Fonseca, no Melhor da Tarde. Ele, que também é diretor do hospital em Pernambuco onde tudo aconteceu, falou sobre os manifestantes religiosos que tentaram invadir o hospital e impedir o aborto. “Pessoas já destruíram o passado dela [da menina] e esse pessoal [manifestantes] que destruir o futuro. Essas pessoas são tão criminosas quanto o estuprador”, disse.

À Catia Fonseca, Olímpio disse que no domingo, dia do procedimento, estava de folga, mas assim que soube que pessoas tinham anotado a placa do carro em que a menina estava, ainda na saúda do aeroporto, se deslocou à maternidade. “Ao chegar, fiquei preocupado pois eles [manifestantes] estavam obstruindo todas as entradas da maternidade. Falei com motorista dela e pedi para aguardar 1 hora para entrar. Aí, fui conversar com eles, que me chamavam de assassino e não conseguiam ter uma conversa civilizada comigo”, relembrou. “Ela estava abalada. É uma menina de vida sofrida, não teve infância e estava muito assustada com tudo o que estava acontecendo”.
QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Fundação Renova - agosto 2020

Além dos traumas psicológicos, Olímpio ainda ressaltou as consequências físicas da manutenção da gravidez dessa menina. “Útero não estava preparado, poderíamos ter que tirá-lo no parto, ou até levar à morte. Adiciono isso ao fato de uma criança ter sido violentada todos esses anos. Obrigar essa criança a ter um filho do estuprador é uma violência tão grave, quanto a própria violência do estuprador”, ressaltou. Sobre o estado de saúde atual da menina, o médico disse que ela está totalmente diferente e que só não teve alta ainda, pois estão articulando como será o retorno dela – em segurança – ao estado do Espírito Santo. “A menina está totalmente diferente, abrindo presentes, recebendo carinho (…). Muita gente chega lá emocionada, estão protegendo a maternidade, assim como nossos alunos estão”, disse. “Ela está em condição de alta, mas não vamos liberar até haver um acordo entre os dois governos. Temos medo de que as pessoas façam uma maldade ainda no embarque.”

O secretário da Segurança Pública do Espírito Santo, coronel Alexandre Ramalho, disse em entrevista à Rádio Bandeirantes que o tio suspeito de estupro de uma menina de 10 anos de idade confessou o crime a caminho da prisão. Ele foi detido na madrugada dessa terça-feira em Betim, região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Sobre o estado de saúde atual da menina, o médico disse que ela está totalmente diferente e que só não teve ainda, pois estão articulando como será o retorno dela – em segurança – ao estado do Espírito Santo. “A menina está totalmente diferente, abrindo presentes, recebendo carinho (…). Muita gente chega lá emocionada, estão protegendo a maternidade, assim como nossos alunos estão”, disse. “Ela está em condição de alta, mas não vamos liberar até haver um acordo entre os dois governos. Temos medo de que as pessoas façam uma maldade ainda no embarque.”

O secretário da Segurança Pública do Espírito Santo, coronel Alexandre Ramalho, disse em entrevista à Rádio Bandeirantes que o tio suspeito de estupro de uma menina de 10 anos de idade confessou o crime a caminho da prisão. Ele foi detido na madrugada dessa terça-feira em Betim, região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Loading...
Revisa el siguiente artículo