Ministério Público vai investigar se grupos pressionaram família de menina de 10 anos a não autorizar aborto

Por Metro Jornal

O Ministério Público vai investigar áudios e conversas de grupos que teriam pressionado a família da menina de 10 anos a não autorizar o procedimento de aborto.

De acordo com a TV Globo, a Promotoria da Infância e da Juventude de São Mateus, no Espírito Santo, também vai investigar se pessoas ligadas a grupos políticos foram até a casa da família para pressionar a avó da criança.

Veja também:
São Paulo faz processo seletivo com 470 vagas para pessoas transgênero
Homem é morto a tiros por policial após invadir delegacia em SP com arma falsa

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Fundação Renova - agosto 2020

Na tarde deste domingo (16), um grupo de fundamentalistas religiosos se reuniu na porta do hospital para protestar contra a interrupção da gravidez da criança. As pessoas chamaram a menina e o médico de "assassinos", ajoelharam e cantaram em frente ao local onde o procedimento foi realizado, em Recife.

Sara Winter, militante de extrema-direita, divulgou os dados da criança e o endereço do hospital nas redes sociais.

A lei brasileira permite o aborto no caso de gravidez fruto de estupro, além de situações de risco para a mãe, como foi considerado pela Justiça neste caso. O tio de menina, de 33 anos, foi indiciado pelo crime e está foragido.

Loading...
Revisa el siguiente artículo