Bolsonaro tem melhor avaliação desde início do mandato, diz Datafolha

Por Metro Jornal

O presidente Jair Bolsonaro registrou a maior avaliação positiva em uma pesquisa Datafolha desde o início de seu mandato, que se aproxima dos dois anos. Foram 37% de respostas “ótimo” ou “bom”, alta de cinco pontos percentuais em relação ao levantamento do fim de junho.

Já a rejeição apresentou grande queda – de 44% na pesquisa anterior para 34% de “ruim” ou “péssimo” nesta edição. A opção “regular” teve alta de 23% para 27% no balanço atual. Não souberam, 1%.

O levantamento foi divulgado no fim da noite de quinta-feira (13). Foram feitas 2.065 entrevistas, por telefone, entre os dias 11 e 12 de agosto (margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou menos).

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Veja também:
Ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Queiroz deve voltar à prisão nesta sexta
Cristo Redentor recebe faxina antes da reabertura

Fundação Renova - agosto 2020

A melhora na popularidade do presidente frente ao governo federal pode ser explicada pela sua mudança de tom desde a prisão de Fabrício Queiroz, amigo da família e ex-assessor de seu filho, o hoje senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), no dia 18 de junho.

Bolsonaro reduziu a frequência de declarações polêmicas, principalmente contra adversários, outras instituições, e medidas para reduzir o contágio de covid-19. Em julho, inclusive, ele precisou ficar em isolamento após contrair a doença.

Também melhorou o relacionamento do chamado “centrão” do Congresso Nacional, cedendo cargos e verbas para diminuir as tensões e especulações de um impeachment. A prorrogação do auxílio emergencial pelo legislativo também ajudou a melhorar a imagem do presidente – entre os que receberam o benefício, 42% acham Bolsonaro “ótimo” ou “bom”.

Mesmo assim, o líder do executivo precisa trabalhar para recuperar a confiança em suas declarações. Entre os entrevistados, 41% diz nunca confiar nas falas de Jair Bolsonaro; 35% confia às vezes e 22% sempre confia; 2% não souberam.

Loading...
Revisa el siguiente artículo