Para 85% dos professores de SP, alunos da rede estadual tiveram prejuízos com pandemia

Por Metro Jornal

Um levantamento com 19 mil professores de São Paulo aponta prejuízos na educação dos alunos da rede pública estadual com a pandemia de covid-19. Segundo o Instituto de Estudos Avançados da USP (Universidade de São Paulo), 85% dos educadores acreditam que os estudantes estão aprendendo menos ou muito menos com as atividades a distância.

A possível defasagem no aprendizado dos alunos, para os entrevistados, é causada pela desigualdade de acesso às aulas, as dificuldades no uso da tecnologia, a insegurança das mudanças causadas pela quarentena e o desinteresse do aluno. A percepção é a mesma independentemente da idade ou etapa de ensino nos quais os jovens estão inseridos.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Veja também:
Instituto Butantan já reforma fábrica para produzir vacina CoronaVac
Pix: nova plataforma de pagamento instantâneo chega em novembro

Fundação Renova - agosto 2020

A pesquisa foi feita pela internet entre os dias 19 de maio e 7 de junho. Além das impressões sobre os estudantes, os professores foram questionados sobre sua saúde mental e opiniões sobre o sistema de educação.

Três a cada dez profissionais se disseram afetados de alguma forma pela pandemia. Para 48,1% dos entrevistados, medo, tristeza, insegurança, angústia, ansiedade e incerteza são sentimentos associados ao período. Metade dos entrevistados se consideram vulneráveis a contraír o coronavírus Sars-CoV-2 – responsável pela doença.

Sobre as perspectivas para a educação pós-pandemia, 80% disseram que sua atuação como docente vai melhorar e 68% veem uma melhor Educação com a retomada presencial sem restrições.

Loading...
Revisa el siguiente artículo