Bolsonaro tenta ‘apagar incêndio’ após saídas na equipe de Guedes

Por Metro Jornal

O presidente Jair Bolsonaro usou suas redes sociais na quarta-feira (12) para reforçar o compromisso do governo federal com “a responsabilidade fiscal e o teto de gastos” e com a privatização de empresas públicas.

As afirmações acontecem após a saída de dois importantes nomes na equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes. Os secretários especiais de Desestatização e Privatização, Salim Mattar, e o de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel, pediram exoneração na terça-feira, em movimento chamado de “debandada” pelo chefe da pasta.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Fundação Renova - agosto 2020

Em entrevista após o anúncio das baixas, Guedes disse que Salim estava insatisfeito com a demora nas privatizações e que Uebel não concordava com o adiamento da reforma administrativa. O ministro criticou ainda pessoas próximas que orientam Bolsonaro a furar o teto de gastos. “Os conselheiros do presidente que estão aconselhando a pular a cerca e furar o teto vão levar o presidente para uma zona sombria, uma zona de impeachment, de irresponsabilidade fiscal. O presidente sabe disso, o presidente tem nos apoiado.”

Bolsonaro afirmou ontem ver com naturalidade as exonerações na Economia. “Em todo o governo, pelo elevado nível de competência de seus quadros, é normal a saída de alguns para algo que melhor atenda suas justas ambições pessoais”, escreveu.

Loading...
Revisa el siguiente artículo