Família tenta provar inocência de primos que foram presos por engano

Por Juliano Dip - Bandeirantes

Uma família está lutando na Justiça pela liberdade de parentes que foram presos injustamente em São Paulo. Imagens de câmeras de segurança, que provam a inocência dos dois, foram ignoradas no inquérito.

Há três meses, Natália Line e o marido Maicon só se comunicam por cartas. Ele e o primo, Maurício, estão presos desde o dia 30 de junho, acusados de roubar um carro.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

Natália, que está grávida de um filho de Maicon, lembra de ter visto o marido pela última vez quando ele saia de casa para o trabalho. A polícia apareceu e o levou. "Eu pensei que fosse uma abordagem [policial], porque ele não devia nada", relatou à Bandeirantes.

Veja também:
Ladrão é baleado e morre em tentativa de roubo em São Paulo
Missão humanitária brasileira viaja nesta quarta para o Líbano

Imagens de câmeras de segurança mostram que meia hora antes, dois homens aparecem deixando um carro roubado e saindo com os objetos levados da vítima. Só depois Maicon, de 23 anos, deixa sua casa e entra no veículo, do outro lado da rua. Em seguida, o primo aparece e entra no veículo. Depois, a polícia chega para abordar os dois.

Na delegacia, eles foram reconhecidos por uma passageira que estava no carro roubado e presos em flagrante.

O vídeo não foi incluído no inquérito. "Eu queria saber porque eles ainda estão presos sendo que tem provas que mostram que não foram eles [que cometeram o roubo], e essas provas não estão valendo de nada?", questionou Natália.

A Secretaria de Segurança Pública não quis comentar as imagens e nem explicar porque elas não constam do boletim de ocorrência.

Loading...
Revisa el siguiente artículo