Cobras traficadas em Brasília são transferidas para o Instituto Butantan

Naja e sua "colega", uma víbora verde voguel, estavam com o suspeito de tráfico Pedro Henrique Krambeck

Por Metro Jornal com Agência Brasil

As duas serpentes peçonhentas apreendidas em Brasília no início de julho já estão no Instituto Butantan, em São Paulo. Os animais chegaram nesta quarta-feira (12) no aeroporto de Guarulhos, após transferência do Zoológico de Brasília.

Ambas estavam sob posse do estudante acusado de tráfico, Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkuhl, que foi picado por uma delas. A cobra da espécie Naja kaouthia foi abandonada em uma caixa na região central de Brasília por um amigo de Pedro Henrique, e foi encontrada pelo Batalhão da Polícia Militar Ambiental (BPMA) e encaminhada aos cuidados do Ibama.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

O Butantan também atuou no socorro ao acusado, fornecendo soro de seu material de pesquisa para combater o veneno da cobra Naja. Krambeck chegou a ser colocado em coma induzido, porém recebeu alta em poucos dias.

Agora, ela e uma cobra da espécie víbora-verde-voguel passaram por exames clínicos e devem entrar em uma "quarentena" de até 40 dias. Depois deste período, seu destino será definido.

Os animais poderão ser encaminhados ao Museu Biológico – que costuma receber animais apreendidos da fauna exótica ou nativa brasileira, ou ser destinados a atividades científicas e de educação ambiental.

Loading...
Revisa el siguiente artículo