Bolsonaro aproveita agenda em São Paulo para verificar hérnia

Por Metro Jornal

O presidente Jair Bolsonaro cumpriu agenda na cidade de São Paulo nesta quarta-feira (12). Pela manhã, o ex-capitão participou da cerimônia de envio da missão humanitária brasileira a Beirute, cuja comissão é liderada pelo ex-presidente Michel Temer.

Depois do evento, o chefe de Estado aproveitou a visita à capital paulista para fazer exames médicos, como informa o jornal O Estado de S. Paulo. Bolsonaro foi ao hospital Vila Nova Star, no bairro nobre do Itaim Bibi.

QUER RECEBER A EDIÇÃO DIGITAL DO METRO JORNAL TODAS AS MANHÃS POR E-MAIL? É DE GRAÇA! BASTA SE INSCREVER AQUI.

O presidente se consultou com o cirurgião Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo – o mesmo que realizou a reconstrução de seu aparelho digestivo e outros procedimentos -, e realizou exames na região do abdome para verificar a presença de hérnias decorrentes do atentado a faca sofrido em 2018.

Durante a campanha presidencial, o mandatário teve seu abdome perfurado durante comício na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Adélio Bispo de Oliveira, que desferiu o golpe, foi julgado como inimputável por razões psicológicas; o inquérito relata que o autor da facada agiu sozinho, e sofria de transtornos mentais.

Desde o ataque, o atual presidente passou por quatro cirurgias, a última para retirar uma hérnia.

LEIA MAIS:
Seminário discute impactos da pandemia na saúde e educação do Brasil
São Paulo lança versão digital do RG; saiba como acessar

O hospital deve divulgar um boletim médico para Bolsonaro ainda nesta quarta-feira. O paciente dirigiu-se ao aeroporto de Congonhas para retornar a Brasília logo após sua consulta.

Atualização
Em boletim médico divulgado nesta tarde à Agência Brasil, o hospital afirma que o presidente "está assintomático com exames laboratoriais e de imagem normais" e "encontra-se liberado para manter suas atividades habituais".

Ainda de acordo com o documento, Bolsonaro – que contraiu o novo coronavírus há algumas semanas – também foi acompanhado por mais três profissionais: os infectologistas Esper Kallas e Maria Luísa Moura e o cardiologista Leandro Echenique.

Loading...
Revisa el siguiente artículo