Instituto Butantan não trabalhará com vacina russa, diz Doria; Paraná terá convênio

Por Metro Jornal

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), negou que o Instituto Butantan vai produzir a vacina russa para a covid-19, registrada nesta terça-feira (11).

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o líder do executivo paulista afirmou que já está em parceria com o laboratório privado chinês Sinovac Biotech. “A (vacina) russa não. Não sou capaz de avaliar se é boa ou não é, se tem o aval da Organização Mundial de Saúde. Não quero fazer pré-avaliação”, afirmou.

Já o governo do Paraná anunciou que, nesta quarta-feira (12), vai assinar um convênio com a estatal russa responsável pela vacina para poder fazer testes, produzir e distribuir as suas doses. Mesmo com o acordo assinado, todos os procedimentos deverão ser autorizados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Veja também:
Vacina russa precisa de avaliação ‘rigorosa’, diz OMS
De quarentena, Camila Pitanga e filha contraem malária

A fórmula confirmada pelo governo russo como eficaz contra a covid-19, doença causada pelo coronavírus Sars-CoV-2, é questionada pela comunidade científica internacional. O governo de Vladimir Putin não tornou público os estudos para a doença.

No site da Organização Mundial de Saúde, um relatório sobre as pesquisas para o desenvolvimento de vacinas para covid-19 informa que a dose russa ainda está na primeira fase de teste. São necessárias tries etapas para atestar a eficácia.

Loading...
Revisa el siguiente artículo