Ceagesp tem alta nas vendas em comparação ao pior mês da pandemia

Por Lucas Herrero - Rádio Bandeirantes

A Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) registrou crescimento de 10,7% nas vendas em comparação ao pior mês da pandemia. Em junho, o maior entreposto de alimentos da América Latina comercializou 249 mil toneladas, 24 mil a mais do que em abril. Inclusive, o desempenho foi 5 mil toneladas melhor do que junho do ano passado.

De acordo com a administração, o aumento no consumo ocorre por causa da reabertura de alguns segmentos, porém, os efeitos da quarentena são claros no consolidado do primeiro semestre. A Ceagesp movimentou R$ 790 milhões a menos de janeiro a junho em relação aos mesmos seis meses do ano passado e essa perda reflete nas condições dos trabalhadores do local.

Alguns dizem ter perdido cerca de um terço do lucro e que até agora só recuperaram cerca de 5%, até porque os prejuízos da enchente de fevereiro ainda são sentidos. Segundo o diretor da Apesp (Associação dos Permissionários), Luiz Paim, que também é produtor de frutas há mais de 40 anos no entreposto, muitos estão com problemas para pagar o salário dos funcionários.

Veja também:
Como a Selic a 2% ao ano afeta seu dinheiro
‘Preocupante’, diz infectologista da Unicamp sobre adiamento da volta às aulas em SP

"Está muito ruim. Inclusive, tem muitos comerciantes que não estão pagando seus aluguéis em dia devido a esses dois choques que nós tivemos: a enchente e logo em seguida a pandemia. Então, de janeiro para cá, a gente teve um aumento de custo de cerca de 30%. O mercado aí fora renegociou aluguéis, baixou preços, deu descontos, enquanto a Ceagesp andou na contramão. Veio um aumento de custo para gente", disse Paim.

Preços

Houve um aumento de 4% nos preços em junho, impulsionado por frutas, legumes e verduras. Analisando o semestre como um todo, ainda existe um cenário de queda de 2% nos valores. A expectativa da Ceagesp é que com a ampliação dos horários de funcionamento de bares e restaurantes, os preços devem continuar subindo por causa do aumento da demanda.

Doação de alimentos

Pelo menos, a redução nas vendas nos últimos meses fez com que mais alimentos fossem doados. 335 toneladas foram arrecadadas, auxiliando mais de um milhão e meio de pessoas. Entre junho e julho, houve um aumento de 35% no estoque do Banco de Alimentos da Ceagesp em comparação aos mesmos meses de 2019.

Loading...
Revisa el siguiente artículo