Pós reabertura, bares e restaurantes faturam só 10% da receita anterior à pandemia

Por Metro Jornal com Estadão Conteúdo

Mais da metade dos bares e restaurantes que retomaram suas atividades depois da quarentena faturam menos de 10% da receita mensal anterior à pandemia. A informação consta no levantamento da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Ainda segundo a pesquisa, que envolveu 124 empresários do setor, 38% dos 70 mil estabelecimentos registrados na capital paulista ainda não retomaram as atividades.

LEIA MAIS:
São Paulo passa de 608 mil casos de covid-19; veja balanço de sexta
Comércio físico e online projeta aumento de vendas para o Dia dos Pais

Paulo Solmucci, presidente da Abrasel, chama a situação de "dramática". Para ele, a restrição de horários durante a reabertura em São Paulo é fator chave para a redução no faturamento. "A retomada em São Paulo está fazendo o dono de bar faturar três vezes menos que os empresários, por exemplo, do Rio de Janeiro, que voltaram a trabalhar em período integral", diz.

Ademais, as linhas de crédito fornecidas pelo governo mostraram-se insuficientes para aliviar a crise no setor. Quem foi beneficiado pelo programa de crédito para pequenas empresas, o Pronampe, viu o dinheiro acabar rápido demais; no entanto, 65% dos donos e bares e restaurantes nem chegaram a receber o auxílio.

"O resultado será de demissões e negócios fechados", alerta Solmucci.

Apesar das deficiências e dos recursos praticamente esgotados, o Programa de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte é, até o momento, o único programa de crédito governamental visto pelo mercado como "bem-sucedido" na crise.

Segundo a Abrasel, cerca de 160 mil trabalhadores formais e informais foram demitidos pelo setor desde o início do cenário de pandemia.

Loading...
Revisa el siguiente artículo