Neonazista alemão confessa ter matado político que defendia refugiados

Por Metro Jornal

Um crime que chocou a Alemanha em 2019 está prestes a ser solucionado por completo. O neonazista alemão Stephan Ernst confessou, durante julgamento nesta quarta (5), que matou o político Walter Lübcke com um tiro na cabeça em 1º de junho do ano passado.

Lübke era do partido União Democrada-Cristã (CDU), e era abertamente pró-imigração. Em 3 de junho de 2019, o político foi encontrado caído, com um tiro na cabeça, na varanda de sua casa em Wolfhagem, no oeste da Alemanha.

LEIA MAIS:
STF retira delação premiada de Palocci de processo contra Lula
Bolsonaro diz que Brasil está solidário ao Líbano e dará ajuda concreta

O crime teria tido motivação política, já que as visões racistas e xenófobas de Ernst conflitavam com a defesa de Lübcke dos direitos de imigrantes e refugiados.

O extremista de 46 anos, segundo declaração lida por sua defesa, disse ter atirado em seu desafeto. Posteriormente, entretanto, Ernst recuou e acusou um suposto cúmplice do assassinato, Markus Hartmann.

A confissão foi lida durante audiência no Tribunal de Frankfurt, onde o neonazista é julgado por homicídio agravado e tentativa de homicídio agravado com arma branca por outro crime, contra um refugiado iraquiano, em 2016.

Ernst nega ter tentado assassinar o refugiado. Caso seja considerado culpado, poderá ser condenado à prisão perpétua.

Loading...
Revisa el siguiente artículo