Marmitas não foram envenenadas na cozinha da igreja, aponta laudo

Caso deixou dois homens mortos no fim de julho em Itapevi, na Grande São Paulo

Por Metro Jornal

Um laudo da Polícia Civil aponta que as marmitas que causaram a morte de dois homens em situação de rua não foram envenenadas na cozinha da igreja em que foram preparadas. No alimento, foi encontrado chumbinho, substância proibida usada para matar ratos.

O caso ocorreu no dia 22 de julho em Itapevi, na Grande São Paulo. Vagner de Oliveira, de 37 anos, e José Araujo Conceição, de 61 anos, morreram, assim como uma cachorra, que ingeriu o alimento. Outras duas pessoas foram internadas: uma adolescente de 17 anos, que já teve alta, e um garoto de 11 anos, que segue internado.

A contaminação, segundo a Polícia Civil, aconteceu em um posto de gasolina após a entrega das marmitas por voluntários da igreja. O autor do crime ainda não foi identificado, mas uma das teorias é de que a ação tenha ocorrido por vingança.

Veja também:
Homem que empurrou mulher nos trilhos do metrô ganha liberdade provisória
Embaixada brasileira no Líbano é atingida em explosão; não há notícia de feridos

Loading...
Revisa el siguiente artículo