Governo federal é o segundo menos transparente sobre contratos durante pandemia

Por Metro Jornal com Agência Brasil

Em ranking que avalia a transparência na divulgação de contratos emergenciais feitos durante a pandemia, o Governo Federal do Brasil teve o segundo pior resultado entre todos os âmbitos de administração no país. Apenas o governo do Estado de Roraima é menos transparente.

A lista foi produzida e liberada pela organização não-governamental Transparência Internacional. Nesta terceira edição do ranking, a ONG incluiu pela primeira vez o âmbito federal nas análises; além dele, estão os governos de cada unidade federativa, além das Prefeituras de cada capital brasileira.

LEIA MAIS:
Brasil adota ferramenta que rastreia infectados por covid-19
Bolsonaro diz ter infecção no pulmão

“A avaliação do governo federal mostra que ainda há muito o que fazer para dar mais transparência às suas contratações emergenciais”, destaca a Transparência Internacional.

Em nota, o Ministério da Saúde informa que as informações de contratos e despesas estão disponíveis no Portal da Transparência e publicações no Diário Oficial da União. Além disso, a pasta destaca que "ampliou informações sobre ações e cenários da pandemia por meio do site localizasus.saude.gov.br".

A escala de transparência varia entre cinco níveis, e é avaliada em pontos: o nível péssimo (0 a 19), ruim (20 a 39), regular (40 a 59), bom (60 a 79) e ótimo (80 a 100). O governo federal foi avaliado como "regular", angariando 49,3 pontos. Roraima fica abaixo, com 40,5 pontos.

O Estado de São Paulo tem transparência considerada "ótima", com 91,1 pontos. A Prefeitura de São Paulo também teve avaliação "ótima", conseguindo 94,9 pontos. Nenhum Estado ou Prefeitura brasileira ficou abaixo do nível "regular", sendo as mais bem avaliadas as administrações dos Estados do Ceará, Espírito Santo e Rondônia (100 pontos cada) e as Prefeituras de Macapá (100 pontos), Vitória (100 pontos) e João Pessoa (100 pontos).

Loading...
Revisa el siguiente artículo