Dada a largada para a década de Marte

Em busca de vida. Em nova missão ao planeta vermelho, a Nasa lança ao espaço um ‘cientista robô’, que deve coletar amostras de local que já foi um lago há bilhões de anos

Por Metro Jornal

O robô Perseverance, da Nasa, decolou na manhã de quinta (30) da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida, nos EUA.  O envio de missões só pode acontecer a cada 26 meses – quando existe o alinhamento perfeito entre a Terra e Marte. A missão atual foi chamada de Mars 2020.

Com o objetivo de coletar amostras do solo, observar a geologia e estudar a viabilidade da vida humana, a Mars 2020 marca o início de uma era de aventuras para o planeta, já que espera-se que a próxima década seja crucial para a pesquisa do local.

Christian Schröder, professor sênior de ciências ambientais e exploração planetária da Universidade de Stirling, no Reino Unido, explicou ao Metro Jornal como o veículo espacial pousará em um local que, possivelmente, foi um lago há 3 ou 4 bilhões de anos.

“Esta cratera, chamada por Jezero, provavelmente já conteve um lago e a Perseverance [jipe espacial enviado] investigará os detalhes à beira deste local para avaliar a habitabilidade de Marte e procurar áreas onde os chamados ‘biossinais’, sinais de potencial vida passada, poderiam ter sido preservados”, explica.

Outras missões

A corrida norte-americana à Marte não é única acontecendo neste momento no mundo. Em julho, China e Emirados Árabes também lançaram missões ao planeta para buscar evidências de vida e mapear a estrutura marciana. Todas as missões estão previstas para pousar no planeta vermelho em fevereiro de 2021.

Entrevista: Ian D. Boyd

Professor adjunto de Ciências de Engenharia Aeroespacial da Universidade do Colorado, nos EUA

O que podemos esperar das missões até Marte?

A questão mais importante que ainda não foi respondida de forma convincente é se a vida biológica já existiu em Marte. Muitos cientistas veem a necessidade de responder a essa pergunta como um avanço fundamental. Se a vida é detectada em nosso planeta vizinho dentro do nosso Sistema Solar, isso é um argumento muito forte para a ideia de que deve haver vida biológica em outras partes do universo.

Existem especulações sobre a colonização de Marte pelos humanos.

Acho que será tecnicamente possível colonizar Marte, mas isso não acontecerá por muito tempo. Existem vários desafios a serem superados, como proteger a tripulação da radiação e fornecer suporte de vida (oxigênio, comida) no planeta. Esses desafios técnicos podem ser superados, mas a dificuldade real é o imenso custo financeiro.

Por que é tão importante colonizar o planeta vermelho?

Marte é o planeta mais próximo da Terra e mais capaz de sustentar a vida. O fato de Marte ter perdido a atmosfera e ter perdido a vida pode fornecer informações importantes sobre o que precisa ser feito para evitar essas calamidades na Terra. Além disso, como eu disse antes, determinar com certeza se a vida existia a qualquer momento em Marte também seria uma enorme contribuição para a ideia de que o planeta Terra não é tão incomum no universo quanto o ambiente no qual a vida pode ser sustentada.

Detalhes sobre os equipamentos enviados

Lançado em foguete Atlas 5, em uma missão de US$ 2,4 bilhões para procurar vestígios de uma possível vida passada no planeta vizinho da Terra, o jipe Perseverance, da Nasa, chamado na sociedade acadêmica de “cientista robô”, está totalmente equipado para desbravar o planeta vermelho.

Na estrutura de 1,05 tonalada, estão presentes: câmeras de alta resolução, equipamentos sensíveis à produção de oxigênio, um emissor de raios-X para investigar a propriedade das rochas e um radar para explorar se existe gelo no planeta.

Em suas redes sociais, a Nasa, agência norte-americana, considerou a jornada de, até agora, como um sucesso. Metro com Agência Brasil

Loading...
Revisa el siguiente artículo