Vacina alemã da Pfizer inicia fase final de desenvolvimento; Brasil participará de testes

Por Metro Jornal com Ansa

A parceria entre a farmacêutica multinacional Pfizer e a empresa alemã BioNTech avançou um de seus protótipos de vacina contra a covid-19 à última fase de testes. As fases 2 e 3 do desenvolvimento acontecerão simultaneamente, envolvendo cerca de 30 mil pessoas.

O Brasil é um dos locais em que voluntários receberão doses da vacina experimental.

LEIA MAIS:
Morre Renato Barros, grande nome da Jovem Guarda, aos 76 anos
SP já avalia possibilidade de permitir acesso aos parques nos finais de semana, diz Covas

Por conta da gravidade da pandemia do coronavírus, diversas empresas estão optando por acelerar as duas fases finais de testes o que, em um procedimento normal, seriam realizadas de maneira separada.

Os próximos passos certificarão tanto a eficácia da substância no desenvolvimento de anticorpos e imunização contra o vírus, quanto a segurança da vacina – analisando efeitos colaterais e adversos naqueles que receberem suas doses.

Ainda, a BioNTech anunciou que descartou uma das substâncias das duas que estavam sendo testadas; a BNT 162b2, candidata mais promissora, seguirá em desenvolvimento por apresentar "melhor avaliação dos dados gerados até agora", segundo o CEO da empresa, Ugur Sahin.

As empresas anunciaram a capacidade de produção para 2020 de 100 milhões de unidades da vacina e, caso sejam obtidos resultados positivos na testagem, conseguirão fazer até 1,3 bilhão de doses em 2021. Os Estados Unidos e o Reino Unido já anunciaram acordos para a compra da imunização.

Loading...
Revisa el siguiente artículo