Estudo mostra que atmosfera é mais sensível a emissões de carbono do que pensávamos

Por Metro Jornal com Agência brasil

Estudo publicado nesta quarta-feira (22) no periódico científico Reviews of Geophysics mostra que a atmosfera do nosso planeta é ainda mais afetada pelas emissões de dióxido de carbono do que anteriormente pensávamos. Realizado com apoio do Programa Mundial de Pesquisa Climática, em Genebra, o trabalho ajuda a delinear o quanto exatamente o planeta pode aquecer à medida que a emissão de gases do efeito estufa aumenta.

A pesquisa demonstrou que, com a duplicação dos níveis de CO2, o que pode ocorrer ainda neste século, a Terra pode aquecer entre 2,6ºC e 4,1ºC. A faixa de temperatura está 1ºC acima da anterior que estimava um aquecimento mínimo de 1,5ºC.

A esperança de que o aumento das temperaturas globais médias fosse limitado a 2,5 graus Celsius até 2020 podem ser praticamente descartadas se as emissões de gases do efeito estufa continuarem no ritmo atual, aponta o estudo.

"Para colocar isso em perspectiva, com nossa taxa atual de emissões, estamos a caminho de duplicar o CO2 até cerca de 2080", disse o coautor Zeke Hausfather, cientista climático do Instituto Breakthrough, um centro de pesquisa em Oakland, no Estado norte-americano da Califórnia.

O estudo, realizado com apoio do Programa Mundial de Pesquisa Climática sediado em Genebra, se baseou em simulações de computador que usaram observações de satélite, registros históricos de temperaturas e indícios de temperaturas pré-históricas de fontes como anéis de árvores.

Ainda, a pesquisa confirma que o mundo ruma para um aumento extremo do nível do mar e outros impactos climáticos extremos. Tais efeitos são esperados com um aumento superior a 2ºC, e a temperatura global média já aumentou cerca de 1,2ºC.

Loading...
Revisa el siguiente artículo