Operação mira organização social suspeita de desviar R$ 6,5 milhões da saúde no Rio

Por Metro Jornal

O MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) e a Polícia Civil fluminense fazem, na manhã desta quinta-feira (23), uma operação para prender suspeitos de desviar R$ 6,5 milhões em contratos com a prefeitura da capital do estado. São cumpridos cinco mandados de prisão e 16 de busca e apreensão.

A ação tem como alvos principais a antiga gestão da Organização Social Iabas (Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde), que recebeu R$ 4,3 bilhões em recursos públicos entre 2009 e 2019. Investigadores apontam um "complexo esquema criminoso" que possibilito o desvio de parte dos recursos.

Veja também:
Cometa Neowise pode ser visto por brasileiros nesta quinta e sexta
Mulher na pandemia assume orçamento, filho e trabalho doméstico

O dinheiro seria obtido ilegalmente por empresas intermediárias prestadoras de serviços. Entre os procurados estão Eduardo Cruz, ex-controlador do Iabas, e sua mulher, Simone. Na cidade de São Paulo, a sede da organização social é alvo de busca e apreensão.

Em outro processo, a Organização Social Iabas é investigada por suspeita de irregularidades na instalação e gestão de hospitais de campanha do governo do Rio de Janeiro para o combate à covid-19 – doença causada pelo coronavírus Sars-CoV-2.

Loading...
Revisa el siguiente artículo