Fiocruz: Volta às aulas arrisca saúde de 9,3 milhões de adultos e idosos

Por Metro Jornal com Agência Brasil

Estudo divulgado nesta quarta-feira (22) pela Fundação Oswaldo Cruz estimou, a nível nacional, o número de idosos ou adultos em grupo de risco da covid-19 que vivem na mesma casa que crianças e adolescentes em idade escolar.

Os dados foram calculados com base na Pesquisa Nacional de Saúde de 2013, feita em parceria pela Fiocruz e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

LEIA MAIS:
Previsão de vacina para 2020 ‘não é realista’, diz OMS
Unicamp não permitirá entrada pelo Enem em 2021

O levantamento ajuda a definir os riscos trazidos por uma possível volta às aulas, já discutida por alguns estados brasileiros. O retorno das atividades presenciais não apenas expõe ao vírus alunos, professores e funcionários da escola, mas seus familiares.

“A volta às aulas pode representar um perigo a mais para cerca de 9,3 milhões de brasileiros que são idosos ou adultos (com 18 anos ou mais) com problemas crônicos de saúde e que pertencem a grupos de risco da covid-19. Isso porque eles vivem na mesma casa que crianças e adolescentes em idade escolar (entre 3 e 17 anos)”, destaca a fundação.

A maior parte destas pessoas (2,1 milhões) estão no estado de São Paulo, que prevê retorno das aulas já em setembro. Em seguida, estão Minas Gerais (1 milhão), Rio de Janeiro (600 mil) e Bahia (570 mil).

Na capital fluminense, a volta às aulas está prevista para ocorrer a partir de 3 de agosto nas escolas particulares.

Loading...
Revisa el siguiente artículo