Escolas de samba de São Paulo propõem adiamento do Carnaval

Por Portal da Band com Rádio Bandeirantes

O prefeito de São Paulo vai se reunir na tarde desta quarta-feira (22) com os presidentes de quatro escolas de samba de São Paulo.

O grupo vai propor a Bruno Covas o adiamento do Carnaval. A decisão foi discutida no início da semana, numa reunião realizada na Liga das Escolas de Samba.

Leia mais:
São Paulo tem 439,4 mil casos de covid-19, com 20,5 mil mortes; veja balanço de quarta
Deputados discutem projeto que propõe extinção da Ouvidoria da Polícia de SP

Em conjunto com a produção do programa "Bora São Paulo", da Band, a Rádio Bandeirantes apurou que uma das sugestões é transferir os desfiles para maio de 2021.

O vice-presidente da Império de Casa Verde, Fabio Leite Souza, diz que o pedido teve amplo apoio das escolas: "Já foi decidido que o carnaval não ocorrerá no mês de fevereiro. Vão fazer uma proposta para o prefeito para que ele ocorra em outra data", diz.

Medidas de segurança

Para minimizar o contato entre as pessoas, alguns itens do regulamento dos grupos especial e de acesso já foram alterados.

A quantidade mínima de componentes e o número de carros alegóricos vai diminuir, segundo o carnavalesco da Mancha Verde, Jorge Freitas: "Até o ano passado eram 2000 componentes mínimos por escola e para o próximo serão 1500. O número de alegorias caiu de 5 para 4. O possível adiamento de data pode acontecer. Nós temos que ter a segurança para que a festa possa ocorrer e a gente não coloque ninguém em risco", afirma.

Na semana passada, Covas afirmou que a realização da festa está sendo avaliada. A ideia é que haja um consenso entre as prefeituras do país para que o adiamento seja unificado.

Loading...
Revisa el siguiente artículo