Trump muda discurso, recomenda máscaras e diz que pandemia ainda vai piorar

Por Metro Jornal com Estadão Conteúdo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu em coletiva desta terça-feira (21) que o novo coronavírus mantém um "avanço preocupante" no sul do país.

Diante do aumento expressivo dos contágios e mortes no Texas e Arizona, o chefe de Estado alertou que a pandemia ainda "ficará pior antes de melhorar".

LEIA MAIS:
Haddad é novamente absolvido em ação que apura improbidade administrativa
Brasil registra 1.367 mortes por covid-19 em um dia; veja balanço de terça-feira

O republicano tem mudado sua postura em relação ao combate à pandemia, retomando suas coletivas diárias sobre a covid-19 e passando a usar máscaras de proteção facial. Nesta terça, ele concedeu sua primeira entrevista coletiva sobre o assunto desde 24 de abril.

Nela, Trump afirmou que a importância do distanciamento social é "senso comum". "Quando você não conseguir fazer distanciamento social, use uma máscara. Quer você goste ou não da máscara, ela tem um impacto, e precisamos disso", admitiu.

No entanto, a retomada das coletivas diárias não incluiu personagens que as frequentavam no início da pandemia, como integrantes da força-tarefa da Casa Branca para o combate do vírus. O médico Anthony Fauci, diretor do Instituto de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA e novo alvo de críticas do presidente e seus apoiadores, afirmou à CNN que não foi convidado.

Ainda, Donald Trump voltou a utilizar suas coletivas para atacar o governo da China, novamente apelidando o vírus Sars-CoV-2 de "vírus chinês". O presidente também relevou entusiasmo com o desenvolvimento de vacinas contra a doença, e opinou que "estarão prontas bem antes do que muitos imaginaram".

Loading...
Revisa el siguiente artículo