62% das mortes em hospitais de campanha paulistanos foram em Heliópolis

Por Metro Jornal com Rádio Bandeirantes

De todas as mortes por coronavírus registradas nos hospitais de campanha em São Paulo, 62% ocorreram na unidade de Heliópolis, na zona sul da cidade. As informações são do repórter Lucas Jozino, da Rádio Bandeirantes.  

O hospital é o único que possui leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e atendem casos graves da doença. Dos 200 leitos disponíveis, 34 são de UTI.

Montada em 20 de maio, a instalação já acumula 78 óbitos. Entretanto, cerca de 90% dos pacientes que passaram pelo hospital de campanha de Heliópolis foram recuperados, totalizando 617 altas.

LEIA MAIS:
Remédios para intubação estão em falta em diversas regiões do Brasil
Voluntárias descrevem animação ao receber dose experimental de vacina em SP

No começo deste mês, a unidade passou a atender também pacientes vindos do interior de São Paulo, onde algumas cidades possuem taxas altas demais de ocupação de leitos. O hospital também abriga pacientes de outros hospitais de campanha quando evoluem para estados graves, o que pode explicar o número de mortes.

Os outros dois hospitais de campanha em funcionamento em São Paulo somam 43 mortes. Foram 32 no Anhembi e 11 no Ibirapuera, Pacaembu, já fechado, teve três óbitos. As taxas de ocupação nas duas unidades de saúde é a mais baixa das últimas três semanas.

Parte dos equipamentos do hospital do Pacaembu foi enviada a três hospitais da zona leste: Itaquera, Cidade Tiradentes e São Miguel.

Com a nova estrutura, a unidade de Tiradentes ampliou para 30 o número de leitos de UTI. O hospital é referência para casos de coronavírus na região e passou mais de três meses com ocupação acima de 90%.

Loading...
Revisa el siguiente artículo