Acusado de matar Marielle, Ronnie Lessa é indiciado por tráfico internacional de armas

Por Metro Jornal

O policial militar reformado Ronnie Lessa e uma de suas filhas foram indiciados nesta segunda-feira (13) pela Polícia Civil do Rio de Janeiro pelo crime de tráfico internacional de armas.

LEIA MAIS:
Policiais de São Paulo vão usar câmeras no uniforme a partir de agosto, diz Doria

As investigações da polícia fluminense indicam que Lessa comprava peças de armamento da China para então enviá-las aos Estados Unidos, onde sua filha morava. No país norte-americano, a jovem trocava as embalagens originais das peças, colocando-as sob o rótulo "peças de metal", visando contornar a fiscalização nos aeroportos e facilitar a entrada das peças no Brasil.

Já em território nacional, as armas eram montadas pelo ex-policial e, posteriormente, vendidas para milicianos e integrantes do tráfico de drogas.

As operações ilegais, descritas pelo delegado Marcus Amim, titular da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), teriam ocorrido a partir de 2014.

Ronnie Lessa também está preso, acusado de ter participado da quadrilha responsável pela morte da vereadora carioca Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes.

Vale - Branded content - julho/2020
Loading...
Revisa el siguiente artículo