Shoppings e comércios de rua ampliam funcionamento e capacidade em São Paulo

Por Metro Jornal

Além da possibilidade de reabertura de restaurantes, bares, salões de beleza e barbearias, a Prefeitura de São Paulo também permitiu que o comércio de rua e os shoppings centers ampliem seu funcionamento. Ambos, que puderam abrir com restrições a partir da fase laranja do plano estadual de reabertura, passam a ficar abertos por seis horas diárias, duas a mais do que o estágio anterior.

O presidente da Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping), Nabil Sahyoun, acredita que a ampliação vai melhorar o fluxo de consumidores nos corredores. "Funcionar por apenas quatro horas era ruim do ponto de vista do faturamento. O shopping vive de movimento, e isso deve melhorar agora", afirmou à rádio BandNews FM.

Veja também:
Restaurantes, bares e salões reabrem nesta segunda na capital paulista
PM prende homem com 21 pés de maconha em sua casa na Grande SP

Segundo Sahyoun, apesar das expectativas positivas, cerca de 12 mil lojas, das 105 mil espalhadas pelo país, não devem retomar as atividades após o fim da pandemia. "Elas não conseguiram sobreviver à crise que se instalou, à falta de capital de giro para o pequeno empresário e à queda do movimento", disse.

A entrada na fase amarela também permite que shoppings e o comércio de rua ampliem a capacidade de atendimento de 20% para 40% do normal. Praças de alimentação, exceto ao ar livre, seguem fechadas até a próxima etapa do Plano São Paulo.

Loading...
Revisa el siguiente artículo