Pandemia fechou mais de mil lojas na Rua 25 de Março

Por Metro Jornal com BandNews TV

O comércio popular foi um dos setores mais atingidos pela crise econômica durante a epidemia de coronavírus no Brasil. Embora tenha começado a reabrir por todo o Estado de São Paulo nas últimas três semanas, o faturamento continua baixo e alguns estabelecimentos não encontraram fundos para voltar a funcionar.

Sem clientes e com déficit financeiro bilionário, algumas lojas tiveram que fechar e outros empreendedores tentam vender ao menos 30% faturamento do início do ano. As informações são do Igor Calian, na BandNews TV.

Marcelo Mouawad, representante da associação Comércio 25 de Março, contou que cerca de mil lojas não resistiram à pandemia e tiveram de fechar: “Hoje, a gente já está calculando 20% das empresas da 25, também já são vítimas do coronavírus, já não devem voltar”, explicou.

Nos primeiros dias da reabertura, a rua viu formação de filas de compradores, o que gerou certa aglomeração, mas até criou esperança nos comerciantes. Entretanto, o movimento durou pouco tempo.

Em alteração no Plano São Paulo, no qual o Governo procura organizar o processo de reabertura, lojas poderão ficar abertas por até seis horas diárias, contanto que isso ocorra apenas durante quatro dias semanais. A mudança busca tornar mais sustentável a rotina dos comércios, enquanto visa manter alguma segurança contra o vírus.

Loading...
Revisa el siguiente artículo