Governo de SP terá que explicar compra milionária de 1,5 mil respiradores

Por Guilherme Oliveira - Rádio Bandeirantes

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo pede esclarecimentos ao governo estadual e a Fundação Butantã sobre a compra de 1,5 mil respiradores mecânicos da empresa turca Shayra Medikal. Foram encontradas irregularidades de superfaturamento dos equipamentos e na assinatura da documentação, já que essas compras não precisam de licitação por causa pandemia.

O contrato, realizado em 13 de março, foi feito no valor de quase R$ 180 milhões pela Fundação Butantã, a pedido do Instituto Butantã. O Tribunal afirma que o contrato leva em consideração apenas o valor dos respiradores, sem contar os demais custos, como importação e transporte, previsto na documentação.

Veja também:
Band homenageia Luciano do Valle em programa especial neste domingo
Covas libera abertura de bares, restaurantes e salões até as 17h

Outra irregularidade é que a versão do contrato em português não foi assinada pela empresa turca Shayra Medikal nem pelo diretor-presidente da Fundação Butantã, Rui Curi, além de não contar com tradução juramentada, que oficializa o documento. Consta ainda em uma declaração da fabricante que o dinheiro destinado pela Fundação seria para a produção dos respiradores e não a compra dos 1,5 mil equipamentos.

O Tribunal de Contas deu um prazo de 15 dias úteis para que os responsáveis expliquem as possíveis falhas no contrato. Aguarda ainda esclarecimentos se houve ou não uma transferência financeira por parte do governo de São Paulo.

Loading...
Revisa el siguiente artículo