Trabalhador informal perdeu, em média, 40% do rendimento durante pandemia

Por Metro Jornal

Dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílio (Pnad) Covid-19 de maio divulgados nesta quinta-feira (2) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revelam a dimensão do impacto da crise econômica do novo coronavírus nos brasileiros informais. Entre o total de trabalhadores, incluindo empregadores formais, aqueles que trabalham por conta própria foram os mais afetados pela redução de renda no Brasil.

LEIA MAIS:
Junho deste ano teve maior número de queimadas na Amazônia dos últimos 13 anos
Governo de São Paulo prevê entre 3 mil e 8 mil mortes por covid-19 em julho

Os trabalhadores por conta própria receberam efetivamente apenas 60% do que habitualmente recebiam, com rendimento médio de apenas R$ 1,09 mil segundo relatório do Ipea. Já os trabalhadores do setor privado sem carteira assinada receberam 24% a menos.

Os empregadores também foram atingidos na crise, recebendo 69% do habitual, mas ainda conservaram um rendimento médio acima de R$ 4 mil. Em contrapartida, servidores do setor público e militares tiveram rendimento praticamente inabalado durante a pandemia, conservando 96% de seu recebimento.

Trabalhadores formais também receberam, em média, 92% de seu habitual. Num panorama geral, a média de rendimento dos trabalhadores brasileiros ficou em 82% do usual, caindo de R$ 2,3 mil para R$ 1,9 mil.

Loading...
Revisa el siguiente artículo