'Percorre o pior caminho que um presidente pode percorrer, diz Lula sobre Bolsonaro

Por Portal da Band com Rádio Bandeirantes

Dando continuidade à série de entrevistas com ex-presidentes da República no Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes, o ex-presidente Lula ressaltou que as eleições presidenciais de 2022 estão fora de seu horizonte político pessoal e do Partido dos Trabalhadores no momento. Segundo ele, o foco é de enfrentamento das crises sanitária, econômica e institucional que o Brasil percorre com a crise do coronavírus.

Leia mais:
Governo de São Paulo prevê entre 3 mil e 8 mil mortes por covid-19 em julho
Bolsonaro diz que pode definir novo nome para o MEC ainda nesta quinta

"As eleições de 2022 não está no meu horizonte político neste momento. A coisa principal que cada brasileiro tem que ter em mente é a crise sanitária, econômica e institucional criada por um presidente que age da maneira mais irresponsável possível no trato da coisa pública. A crise sanitária passou dos limites do que qualquer um poderia imaginar, o presidente deveria ter tratado de ser o maestro com uma estratégia para o enfrentamento do coronavírus, tratou com descaso. O Bolsonaro está percorrendo o pior caminho que um presidente pode percorrer", disse o ex-presidente.

Após 14 anos à frente do governo do Brasil, o PT voltou ao posto de oposição. Para o líder do partido, há uma cobrança de que os opositores devem contribuir com o governo, quando na verdade, segundo Lula, o papel é apontar os erros, propor mudanças e denunciar falhas do governo Bolsonaro.

"O papel do PT é o de fazer oposição, apontar o que é errado no que ele faz, fazer propostas, temos que denunciar a destruição da Educação, da Amazônia, dos direitos das mulheres, dos negros, a destruição da nossa política internacional que nós construímos", frisou.

Em meio aos movimentos políticos para a construção de uma frente ampla para disputar com Bolsonaro em 2022, o ex-presidente acredita que deve haver a construção de uma alternativa, mas se recusa a conversar com quem, segundo ele, "ajudou a destruir o País".

Lula não poupou críticas ao ex-ministro Ciro Gomes, a quem acusou de querer anular o PT da disputa política para ir ao 2º turno das eleições, e afirmou que o ex-aliado tem mania de saber de tudo.

"O Ciro é a pessoa mais engraçada do Brasil. Ele não se conforma que para ele ir para o 2º turno, ele tem que ganhar no 1º turno. O Ciro não passou, é a terceira vez que não passa. Ele quer anular o PT para ir para o 2º turno, é lamentável ele fazer o discurso para ganhar votos da extrema direita", disse.

Perguntado se o PT já tinha um nome internamente para a disputa das próxiams eleições presidenciais, Lula desconversou e disse que não pensa nisso neste momento. O ex-presidente também afirmou que pretende retomar seus direitos políticos, mas não para ser candidato, e sim provar as inconsistências nos processos em que foi condenado pela Lava Jato.

"É até um pouco de hipocrisia ficar discutindo as eleições de 2022 com 2020 ainda pela frente. Eu acho que nós estamos tentar construir uma alternativa para este país. Eu não posso aceitar perder meus direitos políticos de graça por causa de um conjunto de mentiras contadas pelo Moro e pelo Dallagnol, eu tenho certeza que ele deve estar tomando remédio tarja preta para poder dormir, porque ele usava do Ministério Público para fazer dinheiro", afirmou.

Veja a entrevista completa com o ex-presidente Lula:

Loading...
Revisa el siguiente artículo