Com 100 dias de quarentena, Doria afirma que pandemia em SP está próxima da estabilidade

Por Estadão Conteúdo

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) afirmou na manhã desta quarta-feira, dia 1º, que a curva de mortes e infecções pelo novo coronavírus no Estado está prestes a atingir um "platô", quando o número de registros diários da doença estará estável. "Esse platô segue uma linha horizontal e, depois, na sequência, o decréscimo. É o que esperamos", afirmou em entrevista à GloboNews.

"São Paulo teve um número menor de mortes na última semana. Foram 144 a menos que na semana anterior", justificou Doria. Ao todo, o Estado, que tem os maiores números absolutos da covid-19 no País, já soma 281.380 pessoas infectadas pela doença e 14.763 óbitos.

Veja também:
Carro do comboio presidencial se envolve em acidente em frente ao Planalto
Homem que ameaçou Doria de morte e tentou extorquir a primeira-dama vira réu

Apesar do plano gradual de reabertura estar em vigor no estado desde o dia 1º de junho, Doria repetiu que a população deve seguir respeitando as medidas de isolamento social. "A recomendação é, para quem puder, continuar em casa. E usar as máscaras, que agora, além de obrigatórias, estão passíveis de multa", frisou. Nesta quarta, a quarentena em São Paulo completou 100 dias.

O estado começará a multar, a partir desta quinta-feira, 2, quem não estiver usando máscaras, que já são de uso obrigatório. Quem estiver sem máscara em locais públicos terá de pagar multa de R$ 500. Já estabelecimentos comerciais que permitirem pessoas sem o equipamento de proteção em seu interior serão multados em R$ 5 mil por pessoa sem máscara. A fiscalização da regra será feita pela Vigilância Sanitária estadual e pelas vigilâncias sanitárias municipais.

Loading...
Revisa el siguiente artículo