Comércios da 25 de Março contabilizam prejuízos com 20% do movimento normal

Por Lucas Jozino - Rádio Bandeirantes

Os comércios do maior centro popular de compras do Brasil, a rua 25 de Março, no centro da capital paulista, está registrando um movimento considerado extremamente baixo. Na quarta-feira, 1º de julho, completam três semanas desde a reabertura do comércio de rua, com restrições, na cidade de São Paulo.

Mesmo assim, pelo menos 35 pontos comerciais da 25 de Março continuam de portas fechadas, segundo a Univinco (União dos Lojistas da Rua 25 de Março e Adjacências). Entre os que retomaram as atividades, o faturamento está na casa de 20% do normal, antes da pandemia.

A entidade representativa estima um prejuízo de R$ 2,5 bilhões para o comércio da região. Desde o início da quarentena, cerca de 12 mil postos de trabalho foram eliminados.

Veja também:
Manchas de óleo no litoral brasileiro completam 10 meses; ninguém foi responsabilizado
Caso Marielle: operação mira integrantes do ‘Escritório do Crime’ no Rio

Loading...
Revisa el siguiente artículo