Fundação Casa tem 68 adolescentes e 57 funcionários com covid-19 em três unidades

Por Victoria Bechara - Metro

O surgimento de casos de covid-19 entre internos e funcionários da Fundação Casa no estado de São Paulo fez com que a instituição corresse atrás de um plano de testes para a doença. A ação é feita em parceria com o Instituto Butantan.

O objetivo é promover a testagem em todo o estado, mas não há previsão de quando esse processo será concluído. A fundação conta com 4.395 adolescentes internados e 447 em regime domiciliar por causa da pandemia – segundo dados de 6 de junho. Até o momento, apenas três unidades realizaram os exames – 68 jovens e 57 funcionários tiveram diagnóstico confirmado.

Entre os internos, boa parte está concentrada nos dois prédios da Casa São Luiz, no Jardim Ibirapuera, zona sul da capital paulista – 42 dos 83 jovens do local testaram positivo. Também foram examinados 171 servidores – 16 contraíram a doença. Segundo a fundação, a maioria está assintomático.

Já em duas unidades de Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo, 26 dos 71 adolescentes internados estão ou tiveram covid-19. A doença ainda atingiu 41 dos 176 funcionários, terceirizados ou servidores. Nestes espaços foi aplicado o teste rápido, que segundo o Ministério da Saúde apresenta taxa de erro de 75% para resultados negativos.

Em uma unidade de São José do Rio Preto (438 km da capital paulista), uma outra ação, em parceria com a prefeitura, confirmou seis casos de adolescentes e três de funcionários com covid-19. Os exames foram feitos em 156 pessoas após a denúncia de que um interno com covid-19 foi isolado em um banheiro da unidade. O diretor foi afastado do cargo.

Em nota, a Fundação Casa afirma que está trabalhando na prevenção da doença dentro das unidades. Não foram registrados óbitos ou casos graves nos centros socioeducativos. Os servidores que testaram positivo foram afastados por 14 dias e os internos diagnosticados estão isolados em espaços separados dos outros.

Além disso, atividades presenciais foram suspensas, como visitas dos familiares, aulas, cursos e oficinas, e as saídas externas dos adolescentes estão limitadas a situações de urgência. Novos internos são levados a Centros de Atenção Especial, como espaços de quarentena antes de darem entrada no sistema socioeducativo. Eles devem ficar 14 dias em observação antes de serem levados às unidades da fundação.

Medidas de prevenção

A testagem geral de internos e funcionários para covid-19 é uma reivindicação de trabalhadores da Fundação Casa. Eles também pedem por EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) de qualidade e afastamento dos funcionários do grupo de risco – que, segundo o sindicato da categoria, estão sendo convocados para trabalhar por falta de efetivo.

"A negligência é gritante", diz o sindicato, em nota. "Apesar dos pedidos, já havendo diversos casos de contágio e afastamentos de servidores, não há até o momento um plano efetivo para a contenção do vírus."

Questionada, a Fundação Casa informou que disponibiliza de EPIs como álcool em gel, luvas, avental, sabão, oxímetro, termômetro infravermelho e máscaras descartáveis e de tecido. Disse também que os servidores receberam equipamentos de proteção individual e estão orientados sobre os procedimentos de limpeza e higiene.


*com supervisão de Luccas Balacci.

Loading...
Revisa el siguiente artículo