'Queiroz não estava foragido; foi feita uma prisão espetaculosa', diz Bolsonaro

Por Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, em live nesta quinta-feira (18), que a prisão de Fabrício Queiroz foi "espetaculosa" e parecia que estavam prendendo "o maior bandido da face da terra".

O ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) foi detido preventivamente na manhã desta quinta em Atibaia, interior de São Paulo. Ele é investigado em um suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio e por lavagem de dinheiro. "O Queiroz não estava foragido e não havia nenhum mandado de prisão contra ele. Foi feita uma prisão espetaculosa", disse o mandatário em transmissão ao vivo no Facebook.

Sobre o motivo de Queiroz ter sido encontrado em imóvel em Atibaia pertencente a Frederick Wassef, advogado de Flávio Bolsonaro, o presidente falou apenas que o local era próximo ao hospital onde o ex-assessor faz tratamento de câncer. "E por que estava naquela região de São Paulo? Porque é perto do hospital onde faz tratamento de câncer. Então, esse é o quadro e da minha parte está encerrado o caso Queiroz", afirmou.

Veja também:
Acidente causa bloqueio em avenidas da zona leste de São Paulo
São Paulo revoga medida que determinava lotação dos ônibus por passageiros sentados

Segundo Bolsonaro, Queiroz já deve estar no Rio de Janeiro sendo assistido por um advogado."Mas parecia que estavam prendendo o maior bandido da face da terra. Que a Justiça siga seu caminho", declarou o presidente.

As investigações do Ministério Público do Rio apontaram que o ex-assessor estava atrapalhando a apuração sobre uma organização criminosa que envolveria Flávio Bolsonaro. A obstrução desse tipo de investigação é também um crime, definido na lei das organizações criminosas. A pena para esse delito é de três a oito anos de prisão.

O presidente não mencionou o argumento do Ministério Público. Após reforçar que não havia mandado de prisão contra o ex-assessor, Bolsonaro disse que, se tivessem solicitado, Queiroz teria comparecido a qualquer local. "Repito: não estava foragido e não tinha nenhum mandado de prisão contra ele. Tranquilamente, se tivessem pedido ao advogado, creio eu, acredito, o comparecimento dele a qualquer local, ele teria comparecido", afirmou.

Queiroz foi preso às 6 horas desta quinta-feira, 18. Ele é investigado em um suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio e por lavagem de dinheiro. A operação foi coordenada pelo Ministério Público do Rio e executada pela polícia e pelo MP de São Paulo. Segundo o delegado da Polícia Civil de São Paulo que efetuou a prisão de Fabrício Queiroz, Oswaldo Nico Gonçalves, o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro afirmou, ao ser detido, que iria se entender com a Justiça.

Loading...
Revisa el siguiente artículo