Congresso tenta anular revogação das cotas feita por Weintraub

Por Metro Jornal

Tentativas de suspensão ou anulamento da medida de Abraham Weintraub, ministro da Educação, que suspendeu ações afirmativas para negros, indígenas e pessoas com deficiência, já foram protocoladas em ambas as casas do Congresso Nacional.

Weintraub aproveitou o que pode ser um de seus últimos dias no cargo para revogar uma portaria de 2016 que reservava vagas para minorias em cursos de pós-graduação.

LEIA MAIS:
Zambelli sinaliza saída de Weintraub nas redes sociais: ‘siga de cabeça erguida’
Weintraub revoga política de cotas para cursos de pós graduação

O Ministério da Educação tentou justificar a decisão afirmando que a lei só prevê cotas e ações afirmativas para cursos da graduação, não pós.

Parlamentares se posicionaram contra a decisão do ministro. Tabata Amaral, deputada pedetista de São Paulo, anunciou sua decisão em protocolar um Projeto de Decreto Legislativo para suspender a revogação das cotas.

"O ministro da ignorância, Weintraub, revogou a portaria sobre políticas de cotas raciais na pós-graduação. As cotas, para além de promover justiça social, têm resultados acadêmicos comprovados. Não permitiremos retrocessos", escreveu Amaral em seu Twitter.

Eliziane Gama e Alessandro Vieira, lideranças do partido Cidadania do Senado Federal, também protocolaram projeto com o mesmo objetivo.

Loading...
Revisa el siguiente artículo