Morte suspeita de adolescente após ação da PM causa protestos na zona sul de SP

Por Metro Jornal

Moradores da Vila Clara, na zona sul de São Paulo, incendiaram dois ônibus e quatro trólebus na noite desta segunda-feira (15), em protesto contra a morte de Guilherme Silva Guedes, de 15 anos.

Segundo a família, o adolescente desapareceu no domingo (14), quando estava na frente da casa de sua avó. O corpo foi encontrado na divisa com Diadema e reconhecido no IML (Instituto Médico Legal) na segunda-feira.

Moradores suspeitam que o garoto tenha sido morto a tiros por policiais militares, já que no local do crime foi encontrada uma tarjeta com a identificação de um soldado da PM.

Veja também:
Em isolamento, Covas usa azitromicina para tratamento da covid-19
Apoiadores de Bolsonaro são alvos de operação da PF em 6 estados

Após o corpo do adolescente ser identificado, os moradores protestaram, atearam fogo a móveis e fizeram barricadas. Houve confronto com a tropa de choque da PM. Não houve registro de feridos e o Corpo de Bombeiros foi acionado para conter as chamas.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que "o caso envolvendo o adolescente, de 15 anos, foi encaminhado ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa para investigações. A Polícia Militar também acompanha a apuração. Se for comprovada participação policial, as medidas cabíveis serão adotadas."

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo