Prefeito de Mauá é novamente alvo de investigação por irregularidades

Átila Jacomussi (PSB) foi preso duas vezes em 2018 acusado de receber propinas

Por Metro Jornal

O prefeito de Mauá, Átila Jacomussi (PSB), é alvo de uma operação da Polícia Civil e do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) na manhã desta segunda-feira (15). A ação investiga irregularidades na gestão do hospital de campanha do município do ABC Paulista.

Policiais civis e promotores do Gaeco cumpriram mandados de busca e apreensão na casa do político e em seu gabinete na Prefeitura de Mauá. Foram apreendidos documentos, um notebook, um tablet e dois celulares.

Veja também:
Gilmar Mendes sugere prisão preventiva a quem ataca instituições: ‘remédio adequado’
Seis pessoas são detidas em manifestações neste domingo em São Paulo

As investigações indicam irregularidades na contratação, em regime de emergência, da empresa responsável pela gestão e operação do hospital de campanha. O contrato, de 90 dias, tem valor de R$ 3,3 milhões.

Entre os crimes investigados estão falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. Mandados são cumpridos em outros municípios, como Jundiaí, Caieiras e São Paulo. O secretário da Saúde de Mauá, Luís Carlos Casarin, também é investigado.

Átila Jacomussi já foi preso duas vezes em 2018, em desdobramentos da operação Prato Feito, que investigava desvio de verbas destinadas à compra de merenda escolar. Ele chegou a ter o mandado cassado pela Câmara de Vereadores, mas retomou o cargo após uma decisão judicial.

Loading...
Revisa el siguiente artículo